quinta-feira, 31 de março de 2011

ESTE CIRCULO INFERNAL A QUE NOS HABITUÁMOS

Basta juntar as peças do puzlle para percebermos o CIRCULO EM QUE VIVEMOS.
O Conselho de Estado reune hoje. Nada de anormal.
Há Conselheiros que o são por força das suas funções Institucionais que desempenham ou desempenharam. Nada de anormal.
Depois há os convidados pelo Presidente da República.
Todos estes senhores tiveram ou têm desempenhado funções no Poder Político deste País.
Alguns são fazedores de opinião política, desportiva e social.
Alguns já circularam pelo Governo e pela Assembleia da Republica. 

Estes senhores circulam pelo PODER, determinam, reunem, decidem. A crise instalou-se. Trocam-se galhardetes. Atiram pedras uns aos outros. O povo assiste,  endivida-se, passa por dificuldades, a situação socvial agita-se, o numero dos sem-abrigo aumenta, a  marginalidade cresce, o rumo não existe.

Foi tudo isto que nos trouxe esta circulação de nomes pelos lugares do PODER, a que chamo CIRCULO INFERNAL.
SEMPRE OS MESMOS !!!


  


quarta-feira, 30 de março de 2011

E FEZ-SE HISTÓRIA ...


GALERIA DE CAMPEÕES


A CAMINHO DO JAMOR

>

MAIS UMA VIVÊNCIA

Em PORTO JUDEU (Açores), Jogo da Taça de Portugal. Primeira vez que o FUTEBOL BENFICA se deslocava aos Açores. O Jogo foi com Os Leões de Porto Judeu. Com boas instalações para a época e no lado contrário às cabines uma bancada, quase me atreve a chamar de imponente. Quando a equipa do FUTEBOL BENFICA  entra em campo fiquei admirado com o apoio que daquela bancada vinha. Foi bom para a equipa, sentimos todos muito esse apoio. Ouvir o grito de FOFO tão longe e o apoio incansável durante o jogo foi uma coisa importante para os jogadores e para a história do Clube. Tentei informar-me porquê tanta gente a puxar por nós tão longe e obtive a informação de que se tratava de operários duma firma da Venda Nova que estavam a trabalhar naquela Ilha (Terceira). Ganhámos o jogo, por 2-0, não podia haver prolongamento para podermos seguir nesse dia ainda para Lisboa, por força dos horários do avião. Sofremos muito até ao momento em que o Miguel fez o 2º golo e as dúvidas ficaram desfeitas. Terminou o jogo e foi tudo a correr era preciso despachar tudo muito depressa pois o avião esperava-nos, a nosso pedido solicitamos que houvesse um atraso na partida de meia hora, a SATA correspondeu ao nosso apelo e quando chegámos estavam todos os passageiros sentados nos seus lugares, os motores do avião a trabalhar e foi só arrancar.

Em Lisboa, esperava-nos uma manifestação de grande alegria, pois familiares e sócios estavam no Aeroporto, parecia que tínhamos ganho a Taça dos Campeões da Europa. Foi engraçado. Momentos que não esquecem a ninguém, certamente.

terça-feira, 29 de março de 2011

E CONTINUANDO A HISTÓRIA DO CLUBE ....


GALERIA DE CAMPEÕES

E A HISTÓRIA DESTE CLUBE, VIVA E EMPOLGANTE, GUARDARÁ SEMPRE A IMAGEM DESTES HOMENS QUE ENGRANDECERAM O CLUBE FUTEBOL BENFICA.

CAMPEÕES NACIONAIS E VENCEDORES DA TAÇA DE PORTUGAL
NA ÉPOCA DE 1978/79








EQUIPA DE INFANTIS DE HÓQUEI PATINS DE 1960

 


E A VIVÊNCIA DESTA VEZ FOI NO FUNCHAL

No FUNCHAL, estava a assistir, no Campo do Liceu, ao jogo 1º MAIO – FUTEBOL BENFICA e sou abordado por um jornalista que me conhecia destas andanças do futebol que me cumprimentou e ficámos a conversar um pouco até que surgiu um sujeito que eu não conhecia de lado nenhum e o meu acompanhante de momento, apresenta-me (não recordo o nome nem dum nem doutro) e ouço da boca dele os mais rasgados elogios ao FUTEBOL BENFICA. Dizia-me então, que tinha muito prazer em conhecer-me porque o FUTEBOL BENFICA era um grande Clube à escala nacional… perdão… mesmo a nível internacional. Evidentemente que a principio fiquei interiormente com a sensação que provavelmente o senhor estaria confundido ou quem sabe até se não estaria numa de gozo. Perguntei-lhe se vivia há muito tempo na Madeira para conhecer o FUTEBOL BENFICA daquela forma e a resposta rápida e concisa foi de que era Madeirense, nunca tinha vivido no Continente, embora conhecesse perfeitamente, mas lembrava-se dos êxitos do FUTEBOL BENFICA  a nível internacional, quer no hóquei em campo quer no hóquei em patins. Além disso estou ligado à RTP desde que ela existe como responsável máximo aqui na Madeira.
Claro que esta situação é agradável e deixou-me um tanto ou quanto orgulhoso. Foi digamos mais um momento de glória. Estes momentos também são definidores da grandeza do Clube e naturalmente não me deixam ficar insensível. 


É MESMO DESPROPOSITADO

Não é d'agora. Sempre foi assim. Temos sempre esta tendência demolidora de criar problemas onde eles não existem.
A nossa imprensa gosta destas coisas, não sei se é para vender ou coisa que o valha, mas a verdade é que tinha que ser neste momento, entre dois jogos de preparação da Selecção Nacional, que  tinham que ir a correr entrevistar o professor Carlos Queiroz sobre a decisão do TAS, o qual ferido como está aproveitou.se do facto  para lançar umas "bocas" para o interior da Selecção. Carlos Queiroz sabe bem o que é uma equipa de futebol e por isso não acredito na sua ingenuidade, pelo contrário, foi intencional ao escolher o momento ou permitir que fosse este o momento de se defender.
Mas como estas coisas não acontecem por mero acaso, eis que surge lançada a ideia que o facto do Rui Patricio ter sido titular, ter-se criado  um caso na Selecção. 
É assim a nossa imprensa. Com tanta coisa boa para relatar cria casos e polémica.
 No domningo jogou-se as meias finais da Taça de Portugal em futebol feminino, não vi nem ouvi esta noticia em nenhum órgão da comunicação social. Esta sim uma noticia importante para o desenvolvimento do desporto, sobretudo na componente feminina, mas isso passou ao lado. 
Num contexto em que se procura aumentar o maior numero de praticantes desportivos, para sairmos  da cauda da Europa em termos de prática desportiva, tanto mais que os indices do desporto feminino está a um nivel muito baixo relativamente aos Países da Europa, era naturalmente de bom tom, se o pensamento de quem decide estivesse alinhado com as necessidades do presente que em vez de se inventar e procurar fomentar casos dessem mais visibilidade ao desporto de uma forma geral e neste particular ao futebol feminino que está em franco desenvolvimento.

É BONITA E DESPORTIVA ESTA OPINIÃO


TAÇA PORTUGAL - 1/2 FINAL

TERMINOU O SONHO
CF Benfica aproveitou bem factor casa e foi mais forte. UR Cadima pelo segundo ano consecutivo "falha" a presença no Jamor mas o caminho é em frente e a cabeça tem de continuar bem erguida, todo o grupo trabalho continua a ser "enorme". A URC dá os parabéns às atletas do CF Benfica e deseja-lhes boa sorte para a final do Jamor.
                              
..........................................

Aqui está um belo exemplo de elegância e  desportivismo. Aliás, eu já aqui neste blog deixei expressa a minha opinião acerca do jogo, que repito novamente: " Grande jogo. Grande emoção. Campo cheio. Fortissimo ambiente. Claques ordeiramente a puxarem pelas suas equipas. Em suma: O FUTEBOL FEMININO saiu prestigiado."
A polémica relativamente ao dia e hora do jogo felizmente não teve qualquer consequência. As pessoas que  vieram de CADIMA foram bem recebidas e portanto quer realçar o facto do  desportivismo com que foi encarada a derrota por parte da UR CADIMA e agradecer ´por outro lado os parabéns e a sorte que nos desejam para a final. 
Faço questão de deixar registado, pela minha parte, as  maiores felicidades à UR CADIMA.


  

segunda-feira, 28 de março de 2011

A HISTÓRIA DESTE CLUBE, SERÁ SEMPRE EVIDENCIADA

GALERIA DE CAMPEÕES

E NESTE PEREPLIO PELA HISTÓRIA DO CLUBE, HOJE O DESTAQUE VAI PARA:

FERNANDO ADRIÃO 
Grande impulsionador da reorganização do Clube. Internacional de Hóquei em Patins e Hóquei em Campo



GRANDE PARTICIPAÇÃO DA NOSSA EQUIPA NESTE TORNEIO. É BOM RECORDAR ESTA JORNADA GLORIOSA



MAIS UMA VIVÊNCIA


Em PONTE DE LIMA, outra situação agradável. Aqui o personagem ainda era relativamente novo, andava pelos 30 e poucos anos. Tinha jogado futebol na equipa sénior do Clube. Deslocamo-nos a Ponte de Lima para disputar o Torneio Internacional de Juniores daquela cidade. Estávamos a almoçar num Restaurante que a organização do Torneio nos havia designado, mas como o Autocarro da Junta que nos transportava estava junto do Restaurante é óbvio que era mesmo um motivo de Identificação de que ali estava a equipa de Juniores do Clube Futebol Benfica. Por momentos tinha-me ausentado da Sala para ir ao WC e o massagista, o Horácio, foi-me chamar dizendo que estava ali alguém que havia jogado no Futebol Benfica e gostaria de conversar com alguém da Direcção. Vim e deparei com um moço que jogou ainda uns 3 a 4 anos no Clube que era o Barros, lembrava perfeitamente dele, enfim… a vida das pessoas modifica-se a cada momento e tinha ido viver para o Minho mas não deixou de marcar presença pelo menos para nos cumprimentar, foi uma atitude agradável e simpática.

FIM DE SEMANA EM BELEZA


GRANDE TARDE EM FRANCISCO LÁZARO


FUTEBOL FEMININO

CLUBE FUTEBOL BENFICA  1  CADIMA  0

Estas miudas fizeram história e estão de pleno direito na FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL que se realiza no Jamor no dia 14 de Maio.

Grande jogo. Grande emoção. Campo cheio. Fortissimo ambiente. Claques ordeiramente a puxarem pelas suas equipas. Em suma: O FUTEBOL FEMININO saiu prestigiado.







FUTEBOL SÉNIOR A APOIAR O FUTEBOL FEMININO, NUMA TARDE EM QUE SE CONQUISTARAM DOIS IMPORTANTES TRIUNFOS 


 Final da Taça de Portugal feminina no palco mítico do Estádio Nacional

FUTEBOL SÉNIOR

Mais uma jornada vitoriosa. Vencemos o União de Algés por 2-0 e ganhámos pontos noutros campos, o que é importante numa altura destas. Num campeonato extremamente competitivo em que nada está decidido a equipa tem que continuar unida como aqui se apresenta. Os adversários são valorosos e só com muito querer e união do grupo é possível obter os objectivos a que todos bos propusemos.


HOQUEI EM CAMPO

No sábado no Porto a nossa equipa num clássico do Hóquei em Campo, venceu o Ramaldense por 3-1.
Jogo dificil. Com cenas pouco dignificantes, mas os nossos atletas souberam ultrapassar todos os obstáculos.
Estamos a um passo de nos classificarmos para os playoffs.



 
EM LISBOA a equipa de Veteranos venceu o Torneio desta Categoria.

O Fut. Benfica venceu a 4ª Etapa do Challenge de Veteranos realizada este sábado no sintético do Jamor, em Oeiras, no que constitui uma estreia do Fófó em vitórias neste escalão.
O torneio foi pautado pelo imenso equilíbrio entre as equipas, tendo o vencedor apenas sido encontrado através do quarto critério de desempate das provas disputadas por pontos do regulamento geral de provas da FPH.
No total participaram sete equipas, um número record em etapas de veteranos, e mais de 80 atletas, num dia que ficou marcado pela habitual boa disposição dos participantes, e também pelo S. Pedro, que não deu tréguas e brindou as "velhas guardas" com um banho fresquinho e retemperador a meio da tarde de sábado. Contudo, bravos como são, os veteranos continuaram a "competir" com todo o entusiasmo, e lá levaram o barco a bom porto, realizando os 14 jogos desta etapa.

domingo, 27 de março de 2011

SEMANA BASTANTE OCUPADA EM SOLICITAÇÕES

PARTICIPAR  E ENVOLVER-ME FAZ PARTE DE MIM MESMO

POR NORMA  NÃO TENHO TEMPOS MORTOS NO MEU DIA A DIA. FAZ PARTE DA MINHA ATITUDE DIÁRIA ENVOLVER-ME EM TUDO O QUE DIZ RESPEITO À VIDA. CLARO  QUE MUITO DAQUILO PARA QUE SOU SOLICITADO TEM A VER COM O FACTO DA POSIÇÃO QUE OCUPO NO CLUBE FUTEBOL BENFICA, QUE TEM SABIDO CORRESPONDER ÀS NOVAS EXIGENCIAS DA SOCIEDADE ACTUAL.

Foi de facto uma semana empolgante.


DIA 19 DE MARÇO

Encontro:"gastronómico-poético"
O amigo José Antunes Ribeiro da conhecida Livraria Ulmeiro, homem de eventos, levou a cabo esta bonita iniciativa que juntou gente gira e de grande brilho intelectual. Foi um belo jantar, com poesia, musica e convivio muito agradável.
Quero aqui deixar os meus agradecimentos e ao mesmo tempo parabéns ao amigo Ribeiro por tão bonita ideia. Venham mais iniciativas destas. 



............
REALIZAÇÃO DA






E





Com o Patrocínio de

8º WHORKSHOP -  15 ANOS DE SAD,S

22 de Março – 18H – Auditório PLMJ – Sociedade de Advogados, RL
Av. da Liberdade, 224 – Edifício Eurolex
Foi uma boa iniciativa da AFL levada a efeito, com gente do futebol a discutir esta temática. Participei nais uma vez nestes Whorkshop,s que têm sido levados a cabo e acho que é aqui nestas acções em locais próprios que os problemas devem ser discutidos, com gente que está por dentro dos problemas e não é na Praça Pública como muitas vezes acontece e que não trazem credibilização.   
.................................


Foi mais uma acção em que estivemos presentes. Prestámos a nossa colaboração na discussão de problemas que afectam a Freguesia. Participar é o nosso lema, sobretudo quando essas acções visam o bem comum.

............................

Somos parceiros do Agrupamento de Escolas Agostinho da Silva. Estamos sempre presentes nas acções levadas a efeito naquele Agrupamento de Escolas, sobretudo nas comemorações de eventos e desta  vez, estivemos numa festa bonita, com diversas Entidades Oficiais, integrada no Ano do Voluntariado.

Terminamos portanto a semana em beleza.

sábado, 26 de março de 2011

MAIS HISTÓRIA ... MAIS VIVÊNCIA


GALERIA DE CAMPEÕES
TRÊS GRANDES ATLETAS DO FUTEBOL BENFICA


O MELHOR DE SEMPRE

Francisco de Carvalho “O Chiquinho”
                                                     Por Jorge Marques da Pastora

No número 4 do mês de Agosto, deste Boletim, publica-se uma entrevista com o antigo futebolista do nosso Clube, Mário Amorim, ou simplesmente, “O Marinho” como nos primeiros anos da sua presença em Benfica, era conhecido.
Nela se  tecem elogios à vida do atleta e do homem.  Foi um acto justo porque esse rapaz foi um elemento de mérito.
Mas, com essa entrevista, veio-nos à memória a recordação de outros bons futebolistas, que ao longo dos cinquenta e cinco anos de vida do Futebol Benfica, defenderam as suas cores.
Lembramos por exemplo: o Xavier do Benfica, o Varela (internacional do Sporting), ou o João dos Santos, do Belenenses, para só lembrar três dos mais antigos, que vindos da primeira divisão, jogaram no nosso clube.
Mas também vimos rapazes criados em Benfica ou no Futebol Benfica, jogar nos grandes clubes.
No entanto, outros com boas condições para integrarem equipas de nomeada preferiram o seu clube de sempre, onde começaram, sempre estiveram e acabaram.
Entre estes um se destacou e foi o melhor de entre todos. Estamo-nos a referir a FRANCISCO DE CARVALHO, “O Chiquinho”.
Rapaz de feitio modesto, de irrepreensível conduta como homem e como atleta, o Chiquinho foi sempre indiferente a palmas e elogios. Alegre, despretensioso, amigo de colegas e adversários que o admiravam, com uma maneira muito sua de estar na vida como no desporto, ele foi efectivamente um atleta de eleição.
Revelando desde muito novo uma aptidão inata para o desporto, o que lhe permitia praticar qualquer modalidade, desde o basquete ao futebol, passando pelo hóquei em campo ou patinado, sempre nas categorias principais, foi ao futebol que mais se dedicou, alinhando aos 17 anos na primeira categoria do Futebol Benfica.
Senhor duma técnica apurada e duma visão lúcida de jogo, Chiquinho era o jogador para quem jogar só por jogar não tinha interesse, mas jogar bem era tudo.
A bola, que ele tratava por tu, quer a grande ou a pequena de pingue-pongue, que também praticava nos momentos de lazer, fascinava-o, e ele dominava-a com laivos de artista.
Deste modo, não surpreende que dos grandes clubes como o Benfica, o Sporting e já no fim da sua carreira o Belenenses, lhe tenham surgido convites para alinhar nas suas equipas.
Mas ele sempre indiferente a títulos ou honrarias, nunca quis usar as asas que possuía para mais altos voos.
Convocado para os treinos da selecção que haveria de bater a Espanha por 4-1, ovacionado a cada passo pelos inúmeros mirones que assistiam ao treino, logo surgiu a convocatória para um segundo treino. Mas o Chiquinho não compareceu. Instado por Directores e amigos para que não perdesse o ensejo de vestir a camisola das quinas, ele respondia displicentemente: A selecção é para outros e acrescentava ironicamente: Eles conhecem-se.
Para compreender a sua maneira de estar no desporto, ( ou talvez não!) conta-se aqui um episódio de que o Chiquinho  foi protagonista.  Decorria um encontro de futebol entre a nossa equipa e a da Alhandra. O Chiquinho que nunca desejara capitanear a equipa, fê-lo nesse dia. Mas de cada vez que o árbitro assinalava uma falta, ele lá estava junto do homem do apito tentando dar a sua opinião. Até que o juiz da partida considerando uma ingerência injustificada no seu trabalho, lhe apontou o caminho das cabines.
O Chiquinho sem contestar tal decisão, iniciou o caminho que lhe fora apontado. Só que a meio, voltou atrás e abeirando-se do árbitro despiu a camisola, atirou-lhe com ela acima, e calmamente reiniciou o caminho para as cabines.
Pasmadas com tão insólita atitude, as pessoas quiseram saber a razão dela. O Chiquinho respondeu: É que assim, aquele árbitro não mais se esquecerá que há um clube que se chama CLUBE FUTEBOL BENFICA.
Era assim com esta filosofia muito sua, que ele encarava o desporto, ao qual deu muito das suas enormes potencialidades de atleta ecléctico, que começou e acabou a sua carreira como o melhor futebolista de sempre, que vestiu a camisola do FUTEBOL BENFICA.
(Publicado no Boletim do Clube nº 9 de 1989)



DOIS CAMPEÕES DO MUNDO
CURRICULO  DESPORTIVO INVEJÁVEL

Revestiu-se de um retumbante êxito estas homenagens de duas das maiores personalidades do hóquei nacional.

E COMO O CLUBE ESTÁ SEMPRE EM MOVIMENTO EIS MAIS UM ENCONTRO ENTRE ANTIGOS ATLETAS O QUE É SEMPRE SALUTAR
 


MAIS UM APONTAMENTO. MAIS UM MOMENTO DE FUTEBOL BENFICA
Em EVORA, outro relato extraordinário de emoção. Á chegada do autocarro, ao Estádio do Juventude de Évora,  que transportava a equipa, muito tremulo e de idade já avançada vejo um sujeito que procurava ansiosamente chegar à palavra com alguém. Um jogador da equipa apontando para mim informou que o Presidente era eu e tal como já me tinha acontecido em Aveiro, este antigo atleta do Clube transportava consigo uma fotografia da equipa que ele fizera parte. Tratava-se de uma fotografia também já muito antiga, do campo, chamemos antigo, onde se via a igreja e lá me indicou quem era naquele grupo da década 30/40. Vivi tal como ele um momento de muita felicidade, ele porque encontrou alguém do Clube ao qual também esteve ligado  durante muitos anos e sentia orgulho nisso e eu porque vi mais uma vez o espírito, a alma do Futebol Benfica, ali representada num ex atleta que apesar dos anos não se esqueceu do que fora a vivência neste Clube. Emoção… Claro!

MAIS UM CAPITULO DA RICA HISTÓRIA QUE TENHO VINDO A CONTAR NESTE MÊS DE MARÇO


GALERIA DE CAMPEÕES

Ñão pára a extraordináriA HISTÓRIA DESTE CLUBE

(continuação de ontem)

Naturalmente que o grande entusiasmo, que nunca é demais referir, que existia logo obrigou o clube a tornar-se ecléctico e por isso ao longo de toda a sua existência várias têm sido as modalidades praticadas pelo Clube, desde o ciclismo ao râguebi, passando pelo voleibol, ginástica, basquetebol, hóquei em campo, hóquei em patins, futebol, andebol, ténis, luta de tracção (muito popular antigamente) e outras.

De todas elas guarda o Clube gratas recordações. Com efeito, na sua Sala de Troféus todas estas modalidades estão representadas através dos troféus conquistados, que espelham bem o valor evidenciado pelos seus atletas ao longo do tempo.

Após a reorganização, o Clube conquista o seu primeiro título regional, no hóquei em campo, na época de 1934/35, no 2º ano, portanto, de actividade.

Fácil é compreender-se o efeito que este primeiro título teve no seio da massa associativa e no bairro. Encheu de júbilo toda a população do bairro, que de um modo geral dispensava um carinho especial ao Clube. Era, pois, o 11º. Campeonato da modalidade que se disputava e a partir dai o FUTEBOL BENFICA passou a ser sempre candidato nº 1 conquista à conquista dos campeonatos de Lisboa e mesmo nacionais

Todo este ambiente, toda esta euforia, todo este entusiasmo, empolgou as gentes do Clube para outras iniciativas, não só desportivas como também culturais, e diga-se que tudo se tornava fácil, as pessoas colaboravam, dedicavam-se e trabalhavam com o fito de tornar o FUTEBOL BENFICA maior e multifacetado, isto é: não só o desporto fazia parte da vida deveras empolgante que o Clube atravessava mas também a actividade cultural constituía, de facto, uma parte importante da vida do Clube.

É assim que em 1935 o Clube se abalança a organizar a Marcha de Benfica, tendo ganho nesse mesmo ano o Prémio da Alegria, bem como em 1964 e 1965. E foi com a mesma alegria e vivacidade que em 1941 obteve o 1º prémio da classificação geral, o 4º em 1955 e o 5º em 1969 e 1982.

Naturalmente que também os feitos alcançados nestas andanças criaram uma certa responsabilidade ao Clube e prestigio nestas organizações, por isso mesmo a Marcha de Benfica tem sido sempre organizada pelo nosso Clube, que continua a ser conhecida pela Marcha  da Alegria e Vivacidade


Em 1936, mais concretamente na assembleia geral de 31 de Agosto, por proposta de Vicente Caleya Ribeiro, dá-se a primeira alteração nos equipamentos oficiais do Clube. As equipas do Clube passam a usar calções pretos, em vez de cor branca em vigor até aí.

1940/41 marcou uma fase de grande progresso da Colectividade. É em 1940 que o Clube obtém o primeiro título nacional, desta vez no hóquei em patins. Para a história ficam os nomes de FERNANDO ADRIÃO, SIDÓNIO SERPA, OLIVÉRIO SERPA, RUI CURVEIRA, CARLOS ALBERTO, JULIO SANCHES E NUNO MAIA, nomes estes dos atletas que conquistaram tamanho feito, o que ficou para sempre ligado à história do Clube.

Mas a época de 1940/41 não se ficaria por aqui no que toca a êxitos Ganhou o FUTEBOL BENFICA ainda o campeonato da 3ª divisão da AFL e o jogo de passagem à 2ª divisão. Conquistou ainda os títulos de campeão de Lisboa em hóquei patins e hóquei campo, os torneios distritais em 3ªas categorias no hóquei patins e reservas de hóquei campo.

Cimentava assim o Clube o prestigio já conseguido nestes sete anos de reorganização, Vivia-se, de facto, uma página brilhante do historial do Clube. Foi talvez a década de 40 o período áureo do Clube. Foi o período das grandes conquistas, talvez decisivo da vida do Clube. Cremos que toda a sua estrutura para o futuro se organizou a partir desse brilhante período.

Teve um inicio auspicioso, na verdade, o ressurgimento do CLUBE FUTEBOL BENFICA, nada ficando a dever ao passado já glorioso do GRUPO FUTEOL BENFICA, que segundo parece já havia conquistado posição de muito relevo.

Entretanto, neste ambiente de euforia que se vivia no Clube, o que era natural, dados os sucessos conseguidos, são aprovados algumas alterações aos estatutos, na assembleia geral de 14 de Novembro de 1940, na Sede da Sociedade Filarmónica Euterpe de Benfica.

A par da reorganização surgiu também a preocupação de criar estruturas e assim passou o Clube a dispor desde logo de um campo de futebol, que só por relaxo não ficou para toda a vida propriedade do Clube. Mais tarde, em 1940, viria a ser construído o ringue com a elaboração da sua dedicada massa associativa, que aos fins-de-semana e aos fins de tarde aos poucos o foi erguendo. Bons tempos!

O FUTEBOL BENFICA perdeu, quiçá, a grande oportunidade da sua vida, quando por relaxo, como já referimos, não tratou de legalizar o terreno que pertencia a uma senhora viúva e que estava na disposição de o doar ao Clube. A referida senhora faleceu e como não havia herdeiros foi o Patriarcado que recebeu o terreno.

O primeiro Parque Desportivo que o Clube possuiu foi pois na Estrada de Benfica, 711, onde hoje se encontra instalados grandes blocos habitacionais, em frente à Rua Cláudio Nunes.

Por proposta do senhor ALFREDO TORRES e aprovada na 1ª assembleia-geral por aclamação, o campo de futebol veio a denominar-se de FRANCISCO LÁZARO, em homenagem ao grande atleta. Ao ringue de patinagem foi dado o nome de FERNANDO ADRIÃO, grande atleta, várias vezes internacional e dedicado dirigente, em suma, verdadeiro símbolo de dedicação e amor clubista.


VIGO 1949 - JORNADA GLORIOSA DO CLUBE FUTEBOL BENFICA



MAIS UMA DAS MINHAS VIVÊNCIAS PELO PAÍS FORA, ACOMPANHANDO O MEU CLUBE


Em QUARTEIRA, um antigo e valoroso jogador de Hóquei Patins e de Hóquei em Campo, conhecido pelo “Fazendas”, (internacional em ambas as modalidades), ainda tive o prazer de o ver jogar qualquer das modalidades, com a vida destruída pelo falecimento da sua esposa, comoveu-me abruptamente. Agarrou-se a mim pedindo para que "não deixem morrer o MEU FUTEBOL BENFICA".  Retirou-se chorando convulsivamente deixando-me naturalmente muito emocionado. Já não o via desde que ele foi viver para o Algarve, há mais de 30 anos, mas apesar do seu aspecto de um envelhecimento precoce, por força de se ter dedicado ao álcool após a morte da esposa reconheci-o imediatamente. São momentos que não dão para esquecer, de uma comoção extraordinária, sobretudo pelo sentimento que estas pessoas guardaram ao longo da vida pelo Clube


NÃO ME COIBO DE DIVULGAR ESTA MENSAGEM DE UM SÓCIO BEM LONGE

Esta mensagem que recebi de um sócio do FUTEBOL BENFICA é reveladora de tempos diferentes que hoje vivemos. BENFICA era efectivamente uma coisa diferente daquilo que é hoje. Penso que, pelo que tenho vivido, posso afirmar e concordar com o Carlos Sousa quando ele diz que todos nos conheciamos. É um facto. Naturalmente por razões que se prendem com a vida daquela altura, o ambiente era outro e no que se refere a BENFICA o FUTEBOL BENFICA tinha uma importância fundamental nesse aspecto. O FUTEBOL BENFICA era um aglutinador no campo desportivo, cultural e recreativo e todos aqueles homens que aqui o Carlos Sousa fala foram simplesmente exemplos de honradez e dignidade.
A mensagem tem dois motivos importantes, no que diz respeito a mim trata-se de uma motivação maior no desempenho que exerço no Clube, por outro lado mostra a influência que tinhamos e a contribuição decisiva numa sociedade de proximidade ou seja não isolada como a actual.
........................................................ 

Caro Lau

Obrigado!

É com imensa saudade dos meus tempos de menino que através destes seus repositórios, recordo alguns senhores que eram referências de Benfica e do Futebol Benfica. Calcule a minha emoção ao ver na ementa do jantar do Sozinhito as assinaturas do meu pai e do meu avô, e também de um tio.

Nesse programa quantos nomes, em assinaturas que se reconhecem, me fazem voltar aos tempos que passava na sede da Cláudio Nunes, 30 e no rinque e no campo da Estrada de Benfica.

José Ramos, Aurélio Pais, Paulo Ferreira, Manuel Espírito Santo, Carmindo, Vítor Carvalho, Simões de Carvalho, Alfredo Neto, António Perna, Videira, Eduardo Sousa, Ernesto Saraiva, Fagulha, Salvador eram todos homens que conheci, e respeitei, na minha meninice. Quando Benfica era uma aldeia dentro de Lisboa e todos nos conhecíamos.

Orgulho no passado, para conquistarmos o futuro.

CRSousa

PS - Um abraço para o José Tiburcio

sexta-feira, 25 de março de 2011

MAIS HISTÓRIA, MAIS GRANDEZA


GALERIA DE CAMPEÕES

O MANIFESTO À POPULAÇÃO RESULTOU NA PRIMEIRA ASSEMBLEIA QUE A SEGUIR SE TRANSCREVE NA INTEGRA.

Aos 23 de Março de 1933, pelas 21,30 horas, teve início na Rua Cláudio Nunes 30, Sede da Sociedade Filarmónica de Benfica, uma Assembleia proposta por uma comissão pelos Exmºs. Senhores:: JOSÉ FREITAS MOURA, DOMINGOS JOSÉ FERREIRA, ANTÓNIO ALBERTO CARATÃO MARQUES, JOAQUIM FÉLIX, MÁRIO LEÃO, ANTÓNIO ANTUNES PERNA, comissão esta que se propunha reorganizar o GRUPO FUTEBOL BENFICA.

A sessão foi aberta pelo senhor  António Alberto Caratão Marques, que em nome da comissão convidou para a presidência da mesa o senhor José Miguéis. Aceite por este senhor o convite, foi por ele convidado  para 1º Secretário o senhor Manuel dos Santos Sousa e para 2º secretário o senhor Artur Gomes.

Aberta a sessão, o senhor José Miguéis agradece e dirigindo-se à mocidade de Benfica, que na sua grande maioria constituía a assistência da sala, tem palavras de louvor e merecimento pela maneira entusiástica como estão aceitando o ressurgimento do GRUPO FUTEBOL BENFICA.

Usou da palavra em seguida o senhor António Caratão Marques, que propõe que seja discutido o emblema, equipamento e nome do clube, visto que tem que fazer parte dos estatutos. Foi proposto, entretanto, pelo senhor Artur Alves que a comissão se manifeste apresentando o emblema que escolheu.

A comissão apresentou então o que viria a ser o emblema do Clube, que, apesar de tudo, foi objecto de discussão. O senhor Tito David discordou do emblema, uma vez que o achava muito parecido com emblemas doutros clubes, citando como exemplo o Clube União de Lisboa, Clube dos Caminhos de Ferro Portugueses, etc.

Outro interveniente na discussão, o senhor Torres, propõe que seja o antigo emblema do GRUPO FUTEBOL BENFICA, dizendo o senhor Ernesto dos Santos que o antigo emblema não chegou a ser aprovado em assembleia geral pelo antigo grupo, por isso opta pelo novo emblema. Contrapõe o senhor Torres, dizendo que deve ser usado o antigo emblema, pois que não quer dizer com isto que pelo facto de não ter sido aprovado o antigo emblema vã tirar o mérito ao passado glorioso que teve o GRUPO FUTEBOL BENFICA.  O SENHOR José Miguéis é também da opinião que seja o antigo emblema, visto ser o ressurgimento do Grupo Futebol Benfica, e pede à assembleia que se manifeste sobre o assunto. Postos os emblemas à votação, foi aprovado por maioria o proposto pela Comissão Organizadora. Estava assim definido o emblema do Clube (que é o actual). Prosseguiria a assembleia, agora com discussão sobre o nome do Clube, começando a tomar forma o Clube Futebol Benfica como viria a chamar-se depois de encerrada esta sessão. Sobre este assunto, o Sr José Miguéis começa por lembrar à assembleia que embora seja reorganização do Grupo Futebol Benfica este não poderá manter este nome porquanto a palavra grupo… só pode por lei ser usado por núcleos de indivíduos que não exceda 21 pessoas.

 O senhor António Caratão Marques, em nome da Comissão, propõe que seja o Clube futebol Benfica. Posto à votação, é aprovado por maioria pela assembleia.
Em seguida entra-se na discussão do equipamento que o clube viria a utilizar. Trabalho também apresentado pela Comissão e que consistiu em camisola às riscas transversais encarnado e preto, sendo os canhões das mangas e o calção em branco, posto à votação é aprovado por maioria.

Propõe o Sr José Migueis à assembleia, em seguida, a leitura dos estatutos organizados pela comissão, sendo lidos Manuel dos Santos Sousa. Finda a leitura, foram estes aprovados por unanimidade.

Como é óbvio procedeu-se depois à eleição dos corpos Gerentes, os quais viriam a ser os primeiros do Clube.
Entraram nas urnas 103 listas e depois de vários acertos uma vez que houve vários sócios eleitos para vários cargos, ficaram  constituídos os primeiros Corpos Sociais do Clube

O entusiasmo era transbordante no meio populacional e o que se dizia na assembleia-geral sobre a reorganização era que haveria que honrar e defender o prestígio já alcançado pelo GRUPO FUTEBOL BENFICA. Quer isto dizer, portanto, que o GRUPO FUTEBOL BENFICA já havia atingido posições de destaque e por isso mesmo a reorganização constituía por si só um bom incentivo para que as pessoas que tomaram sobre os seus ombros tamanha tarefa se empenhassem e encontrassem nesse passado forças e coesão. Assim foi e rapidamente o Clube atingiu e reconquistou posições de destaque, progredindo, desenvolvendo-se e impondo-se como força desportiva na freguesia.
(tem continuação amanhã esta parte da história do clube)


OPERÁRIO CARPINTEIRO, PESSOA BASTANTE ESTIMADA EM BENFICA,  A SUA  FAMILIA  ESTEVE SEMPRE LIGADA AO GRUPO FUTEBOL BENFICA. SEU SOBRINHO NORBERTO SILVA, FOI DURANTE LARGOS ANOS SECRETÁRIO DA ASSEMBELIA GERAL DO CLUBE, NAS DECADAS DE 60 E 70, ABANDONANDO ESTAS FUNÇÕES PELA IDADE AVANÇADA. FRANCISCO LÁZARO, UM HOMEM DO FUTEBOL BENFICA,  FALECEU NA MARATONA DE ESTOCOLMO, EM 14 DE JULHO DE 1912. A SUA MORTE CAUSOU BASTANTE CONSTERNAÇÃO NA FREGUESIA NA ALTURA, TENDO O GRUPO FUTEBOL BENFICA, COM UM GRUPO DE COLECTIVIDADES PRESTADO UMA HOMENAGEM SENTIDA.

quinta-feira, 24 de março de 2011

VAMOS TODOS AO ESTÁDIO APOIAR AS NOSSAS MIUDAS

Taça de Portugal - 1/2 finais


TODOS AO ESTÁDIO! 


É UMA HISTÓRIA EMPOLGANTE A DESTE CLUBE, POR ISSO TEMOS ALICERCES E IREMOS PARA ALÉM DA NOSSA PRÓPRIA EXISTÊNCIA


GALERIA DE CAMPEÕES

E OS ENCONTROS VÃO ACONTECENDO PELO PAÍS FORA, MAIS UM:

Em CAMPO MAIOR, sucedeu exactamente a mesma coisa. Também um “jovem” bem pesado na idade, de olhos encharcados de emoção, lá me mostrou também uma fotografia dos seus tempos de jogador e bastante emocionado dizia-me ter saudades dos seus tempos de Benfica e do Clube. Tempos que já não voltam … foi o comentário final com um forte abraço, carregado de emoção e saudade, quando soube que estava perante o Presidente do Clube.

..............................

Após um período de alguma estagnação, devido a factores de vária ordem, nomeadamente devido à instasbilidade social que se viveu por força da I Grande Guerra, o Clube voltou a reorganizar-se.
Os primeiros Corpos Gerentes votados em Assembleia Geral de 23.03.1933

Presidente da Direcção Contra-Almirante José Miguéis
.
ASSEMBLEIA GERAL
Presidente Francisco Domingos Pires
Vice-Presidente José Nunes Gouveia
1ºSecretário  Ramiro Paulo de Oliveira
2º Secretário Artur Alves

CONSELHO FISCAL
Presidente António Joaquim Félix
Relator Ramiro Paulo Oliveira
Secretário Henrique Marques dos Santos

DIRECÇÃO
Presidente Contra-Almirante José Miguéis
Vice-Presidente João Simões da Silva
Secretário Geral Artur Ferreira Gomes
Secretário Adjunto António Antunes Perna
Tesoureiro Alberto Caratão Marques
Vogais JOão Melo, Domingos José Ferreira, Mário Leão e Fernando Pinto Adrião



A PARTIDA DE FERNANDO PINTO ADRIÃO PARA MOÇAMBIQUE QUE JUNTOU CENTENAS DE FUTEBOLBENFIQUISTAS A DESPEDIREM-SE DELE NO CAIS DA ROCHA
VAI, PARTE QUE LEVES PARA SEMPRE A TUA DEDICAÇÃO AO CLUBE FUTEBOL BENFICA
dedicatória do Capitão Santos Romão


Uma classe de ginástica do Clube, exibindo-se no nosso Estádio, por ocasião de uma festa ali levada a efeito




quarta-feira, 23 de março de 2011

E A HISTÓRIA CONTINUA ...

GALERIA DE CAMPEÕES

NO DIA DE HOJE

e NESTE MÊS DE mARÇO, CONTINUO A DIVULGAR A HISTÓRIA DO MEU CLUBE COM GRANDE ENTUSIASMO E ORGULHO.
Por isso  aqui reproduzo o documento que veio a reorganizar o Clube. Devido à Constituição da Republica Portuguesa daquele tempo teve que se substituir a palavra Grupo por Clube.

MANIFESTO À POPULAÇÃO DE BENFICA SOBRE A REORGANIZAÇÃO DO GRUPO FOOT-BALL BENFICA


Exmº. Senhor,

Sendo a freguesia de Benfica uma das que hoje conta com um elevado número de fogos e ainda devido ao seu grande desenvolvimento, quer industrial, quer comercial, não estar em relação a muitas outras de bem  menor importância e que hoje desenvolvem a sua actividade em todos os sentidos, vimos rogar a V.Ex.ª a sua atenção para este apelo.

Esta freguesia, que em tempos que não vão longe foi uma das mais progressistas dos arredores da capital, devido aos desportos que então se praticavam, encontra-se hoje num estado apático que não deve continuar por mais tempo. As causas que levaram a este estado são várias e por isso escusamos de as enumerar.

Encontrando-se presentemente, uma grande parte dos habitantes da freguesia a dar novamente a animação  de outros tempos, resolveu a Comissão abaixo designada dar começo aos trabalhos de organização e apelar para todos os seus moradores para que ajudem a levar a cabo a ingrata missão de que acaba de ser investida, inscrevendo-se como sócio do Grupo Foot-Ball Benfica, Grupo que em tempos idos tão gratas recordações nos deixou e o qual, estamos certos, continuará a honrar as suas antigas tradições.

A quota mínima é de 2$00, sem mais encargos, esperando a Comissão que V.Ex.ª se digne assinar a proposta junta, o que desde já muito agradece.




                                                                                        A COMISSÂO
                                                                                 António Joaquim Felix
                                                                                 António Alberto Caratão Marques
                                                                                 José de Freitas Moura
                                                                                 João Melo
                                                                                 Domingos José  Ferreira
                                                                                 Mário Leão
                                                                                 António Antunes Perna


Março, 1933




O Acto de Posse dos Corpos Gerentes efectuado em 16.4.53, nas instalações sociais do Clube.
Belo exemplo da vida interna do FUTEBOL BENFICA  e da atenção que os sócios dedicavam a estes actos.



Jantar de homenagem aos campeões realizado na ESPLANADA RESTAURANTE "SOZINHITO"
1959


E cá vai mais um acontecimento que vivi por este País fora ...

Em AVEIRO, há uns anos, ia iniciar-se o jogo BEIRA MAR – FUTEBOL BENFICA para a Taça de Portugal quando sou abordado pelo graduado da Polícia que me transmitiu que havia alguém que me queria falar. Repentinamente pensei que era o Sérgio que tinha estado em Moçambique na tropa comigo e era natural que assim fosse porque o Sérgio é de Aveiro e foi em tempos “doente” pelo Beira Mar. Mas não, surge-me, ao fundo do túnel, onde me encontrava, um “jovem” com mais de oitenta anos, a lacrimejar, com uma foto muito antiga apontando para a mesma dizendo: eu sou aquele… eu joguei no Futebol Benfica… que saudades…
Vivi em Lisboa um bom par de anos e nunca esqueci os tempos lá vividos e sobretudo o Clube e com um misto de alegria e saudade, afastou-se de mim com um abraço e foi ocupar certamente o seu lugar no campo e eu dirigi-me para o Camarote que estava reservado à Direcção do Clube.
 Muito sentimental esta situação.